quarta-feira, 29 de maio de 2019

Arcoverde: Cazarão abre boletim de ocorrência na DP contra licitação do São João

         A licitação que visa privatizar os espaços públicos dos pólos juninos do São João 2019 de Arcoverde ganhou um novo capítulo. Os representantes da empresa O Cazarão, barrada e impedida de participar do processo licitatório na última sexta-feira (24), na sala da Comissão Permanente de Licitação (CPL), na Prefeitura de Arcoverde, registraram um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia do Município.

No BO, o Sr. Juscelino Carlos da Silva noticia o fato ocorrido durante o pregão presencial de nº 06/2019, tipo maior oferta, processo licitatório nº 017/2019 que prevê a contratação de empresa para exploração dos espaços públicos dos pólos Multicultural, Pólo Gastronômico, Pólo das Artes, Pólo Alto do Cruzeiro, Pólo da Poesia, Pólo Rubens – Pastor de Musica Alternativa, Pólo Estação da Cultura, Pólo Vila de Rio Branco, Pólo Pé de Serra durante os dias de 21 a 29 de Junho de 2019. O valor da licitação é de R$ 150 mil.

Segundo o registrado no Boletim de Ocorrência, “na ocasião haviam 05 empresas representadas no local e a pregoeira só permitiu a entrada de 03 empresas, ficando de fora a empresa representada pelo noticiante (O Cazarão) e tendo este insistido para entrar, já que era um direito, porém foi negado o seu direito”.

O proprietário da empresa, Tarciano Teixeira, disse lamentar que uma prefeitura do porte de Arcoverde, que tem um São João conhecido em todo o estado, cometa tamanha arbitrariedade. Ele afirmou que a empresa está entrando na justiça para fazer garantir seus direitos.

Entenda o caso: Na manhã da sexta-feira (24) a licitação que a Prefeitura de Arcoverde realizava para escolher a empresa que irá explorar os espaços públicos que compõe os pólos juninos foi marcada pela discriminação e recusa da documentação de uma empresa que chegou ao local e horário determinado pelo edital do processo licitatório PMA Nº 017/2019. Quatro empresas se apresentaram (HDF Produções e Eventos LTDA ME, MRC Gomes da Silva ME, Promofestas LTDA ME e Tarciano Teixeira de Assis ME), mas a leiloeira da CPL (Comissão Permanente de Licitação) se recusou a receber a documentação para credenciamento da empresa Tarciano de Assis Teixeira ME (O Cazarão), que tem sede em Arcoverde, levada pelo seu representante, contrariando a Lei das Licitações aonde ninguém pode ser impedido de participar de um processo licitatório público.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search