terça-feira, 28 de maio de 2019

Arcoverde: Câmara adia sessão para sexta-feira e gera críticas de ex-vereador e resposta da presidente

           A Câmara de Vereadores de Arcoverde adiou para a próxima sexta-feira (31), a sessão ordinária que ocorreria nesta segunda-feira (27) para, juntamente com ela, homenagear com a entrega da Medalha Cardeal Arcoverde o mestre do coco Cícero Gomes, pelos 10 anos do Samba de Coco Trupé de Arcoverde, às 19h. Numa nota, a casa legislativa explicou a mudança, mas o ex-vereador Luciano Pacheco não poupou críticas, muitas delas pessoais, a presidente da casa, a vereadora Célia Galindo (PSB), apesar de ambos serem aliados do governo Madalena. O erro da Casa James Pacheco foi não informar ao público a mudança da sessão, o que acabou gerando toda a confusão. As críticas parecem ter tido o objetivo de desviar as denúncias da vereadora Zirleide Monteiro sobre as possíveis irregularidades na licitação dos polos do São João.

Na nota espalhada em blogs, o ex-vereador cita a vereadora pelo nome antigo (Célia Cardoso) como em tom de ironia e diz que "a presidente da Casa 'Célia Cardoso', juntamente com o 'namorado', foram fazer compras em São Paulo para sua loja de roupas. A ordem foi ninguém comparecer. Será que a Câmara só pode funcionar com a presença da “toda poderosa”?

A resposta não demorou a vir e nela a vereadora lembrou que é casada, que seu nome é Célia Almeida Galindo e citou o apoio do marido (Paulo Galindo), classificando as críticas do ex-vereador como críticas a mulher, a mãe, avó e como ofensas de pessoas que "foram rejeitadas pelas urnas, pelo povo, teimem em querer ditar o funcionamento da Câmara Municipal e, pior ainda, a vida das pessoas". 

Célia faz um breve histórico de sua vida lembrando que a 45 anos trabalha no comércio e emprega pais e mães de famílias e não deixará de trabalhar por críticas de terceiros e nem de cumprir suas prerrogativas como vereadora; que foi a 1ª mulher eleita e é vereadora por 08 mandatos exercendo a presidência da Câmara pela 3ª vez e que isso deve provocar inveja em determinadas pessoas, referindo-se ao ex-vereador.

"Estamos na Presidência desta casa pela terceira vez e sempre pautamos nosso trabalho pela ética, a transparência e, principalmente, o respeito às pessoas e ao povo de Arcoverde" e sua história "infelizmente, causa inveja e sentimentos menores em determinadas pessoas que ainda hoje não suportam a rejeição dada pelo nosso povo". 

Sobre as atitudes do ex-vereador, que vem sistematicamente tecendo críticas predominantemente pessoais, provocando confusão dentro do governo que os dois representam, a vereadora Célia Galindo diz que o mesmo vive de sentimentos menores.

"Sou uma mulher que respeito, exijo respeito e sou respeitada, casada com Paulo Roberto Galindo, meu marido e a quem agradeço a sua força, tranqüilidade e serenidade para suportar a inveja e as artimanhas de pessoas que só vivem de arquitetar o mau, utiliza-se de pessoas próximas, de subterfúgios, para agredir a dignidade e a voz de uma mulher, de uma mãe de família, de uma avó que não aceita injustiças e não teme bigode e nem bravata de ninguém, principalmente de pessoas frustradas".

Na nota divulgada em seu facebook, a vereadora finaliza questionando não saber "de onde vem e até onde vai tanto ódio, mas sei que farei de tudo para defender minha família, meus colaboradores e minha cidade de pessoas que só alimentam o rancor e a amargura em seu coração" e encerra pedindo a Deus para proteger a família, amigos, colaboradores, o marido "daqueles que elegeram o mal como instrumento de vida, a inveja como sentimento maior, a mentira como palavra. Que nosso Deus pelo menos proteja a alma desses seres que se apequenam diante da vida. Vamos seguir em frente, porque temos Deus e a verdade ao nosso lado".

Pelo visto, o clima dentro do governo provocado pelas críticas do ex-vereador à presidente da Câmara não parece ter fim e demonstra não passa de mera disputa política pessoal do ex-parlamentar para com a vereadora, que é governista de carteirinha e vê o governo assistindo a tudo sem abrir a boca e nem intervir para acalmar os ânimos. Os ataques verbais do ex-parlamentar parece querer abafar o escândalo da licitação que visa privatizar os polos do São João e que foi marcada por uma série de irregularidades que já foram denunciadas ao TCE e ao MPPE pela vereadora oposicionista Zirleide Monteiro e pela empresa prejudicada.  Quais serão as cenas dos próximos capítulos? Talvez nem Deus saiba, mas uma coisa é certa: Arcoverde não ganha nada com isso

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search