quarta-feira, 20 de março de 2019

Arcoverde: Estudantes da Escola Monsenhor José Kherle temem fim da banda de música

              Uma postagem feita por um dos alunos da Escola Monsenhor José Kherle, reforçada por uma ex-professora da unidade de ensino localizada no bairro da Boa Esperança, em Arcoverde, levantou a hipótese do encerramento das atividades da Banda Musical Professor Carlos Fernando de Melo Torres. Segundo as postagem, a decisão, não anunciada oficialmente, teria partido da direção do educandário que é ligado a Gerência Regional de Ensino  (GRE) do Sertão do Moxotó/Ipanema.

Criada há cerca de dez anos, a banda ganhou o nome do seu ex-diretor, Professor Carlos Fernando, falecido em 2015 , e desfilou pela primeira vez em setembro de 2011, como revelou em sua postagem a ex-professora Joselma Melo, quando relata todo o histórico da criação da banda musical. Com dezenas de alunos integrantes, a banda representa para muitos alunos, segundo postou um dos alunos, 'o sonho de vários jovens' e eles temem que esse 'sonho' se acabe.

Para o aluno que pediu o compartilhamento de sua indignação, a concretização do fim da banda representaria "uma atitude que torna uma sociedade sem respeito, sem educação, sem compromisso, e agora, para onde nós jovens iremos parar?" e questiona o atual diretor, o professor Henry Pereira, afirmando que, caso leve adiante a intenção de acabar com a banda musical "irá destruir sonhos", afirmando que "ali é formado pessoas com dignidade, caráter e bastante humildade". 

O post de indignação finaliza dizendo em letras garrafais que "Isso não é uma atitude de uma pessoa que trabalha na área da Educação". Os alunos esperam que a direção da GRE, sob o comando do professor Reginaldo Amorim, interceda para manter viva a banda de música Professor Carlos Fernando. 

Segundo informações, há cerca de dois meses a direção recolheu todos os instrumentos da banda de música sob o argumento de realizar o tombamento de todas as peças e, até hoje, os mesmos não voltaram para que os alunos pudessem ensaiar. Enviamos mensagem ao diretor da escola, via caixa de mensagem, mas até o fechamento desta matéria ele não havia respondido. Por outro lado, as postagens, tanto do aluno como da ex-professor que tinam como slogan "Somos todos Monsenhor, Não acabe nosso sonho", foram inexplicavelmente excluídas sem maiores explicações. 

Um comentário:

  1. É um absurdo tentarem destruir os sonhos de tantos jovens e adolescentes. Tenho um imenso amor por essa escola bem como conheci Carlos o antigo gesto e também professor. Era um ser humano iluminado.

    ResponderExcluir

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search