Mostrando postagens com marcador VACINA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador VACINA. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 4 de abril de 2022

Municípios pernambucanos começam vacinação contra Influenza e Sarampo

                        A partir desta segunda-feira (4) até o dia 3 de junho, Pernambuco realiza as Campanhas Nacionais de Vacinação contra Influenza e Sarampo. No Estado, a meta é imunizar pelo menos 95% dos grupos elegíveis para sarampo (862.895 pessoas) e 90% para influenza (3.366.854 pessoas). O Dia D de vacinação para as duas campanhas está marcado para 30 de abril. 

Desta segunda até o dia 2 de maio, recebem a vacina contra a influenza e o sarampo, os trabalhadores da saúde (público estimado em 259.370). Já o grupo de pessoas idosas com mais de 60 anos (1.252.642) recebe a imunização contra a influenza. 

De 3 de maio a 3 de junho, serão vacinadas contra influenza e sarampo crianças de seis meses a menores de cinco anos de idade (público de 603.525). 

Nesse período, receberão a imunização somente contra a influenza gestantes, puérperas, povos indígenas, professores das escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, profissionais das forças de segurança e salvamento e das forças armadas, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade e adolescentes e jovens sob medidas socioeducativas. No Estado, esses grupos representam 1.854.842 pessoas. 

De acordo com a secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE), a vacina trivalente contra a influenza, utilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), é produzida pelo Instituto Butantan e será eficaz contra as cepas H1N1, H3N2, incluindo a cepa Darwin, e tipo B. A formulação é constantemente atualizada para que a dose seja efetiva na proteção contra as novas cepas do vírus.

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

quinta-feira, 3 de março de 2022

Pernambuco recebe 112.320 doses da vacina da Pfizer contra Covid-19

                Mais 112.320 doses de vacinas da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19 chegaram a Pernambuco na noite desta quarta-feira (2). O lote foi encaminhado para a sede do Programa Nacional de Imunizações (PNI), no Recife, de onde seguem para os municípios para dar continuidade à aplicação da segunda dose em adolescentes de 12 a 17 anos.

De acordo com o governo do estado, as prefeituras devem ficar atentas ao prazo determinado para o intervalo entre as aplicações da vacina: oito semanas (dois meses) após o recebimento da primeira dose.

A Secretaria Estadual de Saúde também informou que, até esta quarta-feira, Pernambuco registrou 49,88% de cobertura vacinal para segunda dose, o equivalente a 542.383 doses aplicadas nessa faixa etária.

Do início da campanha de vacinação contra a Covid-19 em Pernambuco, em 18 de janeiro de 2021, até esta quarta-feira, Pernambuco recebeu 20.349.583 doses de vacinas contra a Covid-19. 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/ 

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022

Pernambuco com apenas 17% das crianças com 1ª dose, secretário pede esforço

                      Pouco mais de 200 mil crianças de 5 a 11 anos receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 desde o início da imunização do público infantil em Pernambuco, no último 14 de janeiro. O número corresponde a apenas cerca de 17% do total e, com a cobertura vacinal andando a conta-gotas nessa faixa etária, o secretário estadual de Saúde, André Longo, pediu esforço dos municípios para avançar com a campanha.

"Precisamos adiantar o processo de vacinação nas crianças. Sabemos que há resistência por parte dos pais e responsáveis, mas não podemos retroceder nesse aspecto", cobrou o secretário, na assembleia extraordinária da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), realizada nessa quinta-feira (10).

Dados mais recentes do Painel de Vacinação da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) indicam que 203.662 crianças receberam a primeira dose em Pernambuco.

Longo cobrou o estímulo à vacinação por parte dos municípios e pelas secretarias municipais de saúde junto às famílias. "Sobretudo, no ambiente das escolas públicas, sendo utilizadas como espaços para a imunização de crianças e adolescentes", sugeriu.

Estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que há cerca de 1,2 milhão de crianças de 5 a 11 anos no Estado. Desde o primeiro lote recebido, chegaram a Pernambuco um total de 640.380 doses pediátricas - sendo 374.500 da Pfizer e 265.880 da Coronavac/Butantan. Ou seja, há doses para pouco mais da metade das crianças residentes, mas menos de um terço foi aplicado até agora.

O Recife, por exemplo, lançou, nesta sexta-feira (11), o Parquinho da Vacina, iniciativa que irá percorrer diversos bairros para incentivar a imunização dos pequenos. A primeira ação, que conta com brinquedos infláveis, futebol, pipoca e outros atrativos, é na Escola Municipal Casarão do Barbalho, na Iputinga, Zona Oeste da capital pernambucana. 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

domingo, 30 de janeiro de 2022

Brasil receberá 1,8 milhão de doses pediátricas da Pfizer nesta segunda (31)

                      O Ministério da Saúde recebe na segunda-feira (31) um novo lote de vacinas pediátricas da Pfizer/BioNTech contra a Covid-19. A entrega estava prevista para o dia 3 de fevereiro, mas foi antecipada.

Segundo o ministério, o novo lote terá 1,8 milhão de doses da vacina. O voo chega no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), e os imunizantes serão então distribuídos aos estados.

Até este momento, o Ministério da Saúde já recebeu 4,2 milhões de doses da vacina específica para o público de 5 a 11 anos. Assim como para adultos, a imunização completa prevê duas doses, com intervalo de oito semanas entre elas.

A dose pediátrica é diferente da vacina que é aplicada em adultos: a cor do frasco é laranja e a dosagem é menor.

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/


quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Pernambuco recebe primeiro lote da CoronaVac para aplicação em crianças de 6 a 11 anos

                 Pernambuco recebeu a primeira remessa de vacinas Coronavac destinadas à aplicação em crianças com idade entre 6 a 11 anos. As vacinas serão usadas tanto para primeiras doses como para segundas doses. 

Desembarcaram no Estado 108.240 doses do imunizante, em dois voos comerciais, nesta quarta-feira (26). Após chegarem ao Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre, os lotes seguiram para a sede do Programa Estadual de Imunização (PEI-PE), na Zona Norte da capital pernambucana, para checagem e divisão por município.

Além da remessa de CoronaVac, uma nova remessa de vacinas pediátricas da Pfizer chegou ao Estado, com 87 mil doses do imunizante. Com essas novas 195.240 doses, Pernambuco contemplará 15,4% do público infantil entre 5 e 11 anos. 

Como pactuado na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) na última segunda-feira (24), os municípios já podem iniciar a vacinação das crianças com seus estoques remanescentes de CoronaVac.

Também ficou definido em CIB que os municípios pernambucanos podem ampliar a vacinação com a Pfizer pediátrica para todos os grupos etários permitidos para o imunizante, ou seja, as crianças de 5 a 11 anos. Como as duas vacinas pediátricas aprovadas até o momento no Brasil tem características diferentes de aplicação e manuseio, os gestores devem ficar atentos às estratégias de vacinação. 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) também reforça que a vacina contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos exige um intervalo de 15 dias (antes ou depois) entre as demais do calendário de imunização do público infantil. Os municípios devem ficar atentos à recomendação e alertar os pais e responsáveis.

Desde o primeiro envio de vacinas para as crianças em Pernambuco, em 14 de janeiro deste ano, já foram entregues 315.240 doses de imunizantes para o público infantil, sendo 207.000 doses da vacina pediátrica da Pfizer e 108.240 doses da CoronaVac/Butantan.  

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

Pernambuco autoriza vacinação das crianças com a Coronavac

                          Pernambuco autorizou o início da imunização contra a Covid-19 em crianças de 6 a 11 anos com a vacina da Coronavac/Butantan, liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e incorporada pelo Ministério da Saúde (MS) no Plano Nacional de Operacionalização (PNO). A decisão, aprovada pelo Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação na manhã desta segunda-feira (24/01), foi pactuada com os gestores municipais em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) na tarde de hoje.

Ficou definido que os municípios que possuem estoque do imunizante já podem iniciar a vacinação das crianças nessa faixa etária enquanto o Estado aguarda envio de novas doses pelo governo federal. 

Segundo levantamento do Programa Estadual de Imunização (PEI-PE), os municípios pernambucanos têm, em estoque, 360 mil doses da Coronavac – tanto para primeiras doses como para segundas doses. “Os municípios devem avançar na imunização das crianças com seus estoques de Coronavac, resguardando sempre as segundas doses dos munícipes que já estão com a vacinação agendada”, pontuou o secretário estadual de Saúde, André Longo.

A apresentação da Coronavac é a mesma tanto para os adultos como para as crianças e o intervalo de aplicação entre a primeira e a segunda dose é de 28 dias. A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) já enviou para os municípios nota técnica com todas as informações de manuseio e aplicação do imunizante no público infantil. “Os municípios devem ficar atentos às especificidades das vacinas pediátricas, elaborando estratégias para evitar erros vacinais nesse público”, alertou a superintendente de Imunizações de Pernambuco, Ana Catarina de Melo.

De acordo com a pactuação, poderão receber a vacina Coronavac as crianças de 6 a 11 anos, exceto as imunossuprimidas, que devem receber a vacina da Pfizer. Como já pactuado, crianças de 5 a 11 anos podem receber a vacina Pfizer - vale destacar que as de 5 anos só podem receber a Pfizer.  

VACINA PFIZER – O Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação também recomendou a ampliação da imunização com a vacina pediátrica da Pfizer para todas as faixas etárias autorizadas. 

“Os municípios pernambucanos também estão liberados a vacinar todos os grupos etários dos 5 a 11 anos com a vacina da Pfizer, de acordo com o quantitativo em estoque. O objetivo é dar mais celeridade à vacinação das crianças nos próximos dias”, pontuou André Longo. 

CADERNETA – A SES reforça que a vacina contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos exige um intervalo de 15 dias (antes ou depois) entre as demais do calendário de imunização do público infantil. Os municípios devem ficar atentos à recomendação e alertar os pais e responsáveis.

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Pernambuco aguarda inclusão de vacina por Ministério da Saúde

         Com a CoronaVac liberada para aplicação em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos, o Estado só aguarda o Ministério da Saúde incluir o imunizante no Plano Nacional de Operacionalização (PNO) para utilizar a vacina na imunização desse público em Pernambuco.

Nesta quinta-feira (20), o ministro Marcelo Queiroga disse que fará a inclusão depois que for publicada a íntegra da decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que autorizou o uso.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou que, além de esperar a inserção da vacina no PNO, ainda não recebeu informações sobre o envio de novas doses do imunizante criado pela farmacêutica chinesa Sinovac e produzido no Brasil pelo Instituto Butantan (SP) ao Estado.

Na próxima segunda-feira (24), o Comitê Técnico Estadual que acompanha a vacinação vai se reunir com representantes dos municípios para definir as estratégias de imunização da faixa etária contemplada.

Em coletiva de imprensa na última quarta (19), o secretário estadual de Saúde, André Longo, afirmou que, em todo o Estado, as prefeituras têm estoques com mais de 150 mil doses de CoronaVac, que deverão ser “revertidas” para a população pediátrica.

“Se não houver distribuição nova do Ministério [da Saúde], isso dá para 75 mil crianças, o que já é uma grande ajuda. Se houver distribuição adicional, poderemos vacinar 150 mil de imediato, o que dá uma avançada boa [na vacinação]”, projetou.

Diferentemente da vacina da Pfizer, que tem uma “versão” específica para crianças, para a CoronaVac, é utilizada a mesma dosagem aplicada nos adultos.

O representante da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) em Pernambuco, Eduardo Jorge da Fonseca, lembra que o imunizante passou por testes de eficácia e segurança. “O laboratório da CoronaVac fez estudos com três doses diferentes para ver, em criança, qual seria a melhor resposta. E a melhor resposta foi com a dose plena, usada em adulto. Ninguém precisa se preocupar”, diz.

Cobrança -  O Consórcio Nordeste, em ofício assinado pelo seu novo presidente, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, cobrou ao Ministério da Saúde a compra urgente da CoronaVac para a vacinação infantil. 

O documento foi enviado ao ministro Marcelo Queiroga nessa quinta-feira (20), dia em que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial do imunizante produzido pelo Institituto Butantan no Brasil para a aplicação em adolescentes de 6 a 17 anos. 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

domingo, 16 de janeiro de 2022

Brasil recebe segunda remessa de vacina pediátrica da Pfizer

                 O Ministério da Saúde confirmou que uma segunda remessa de vacinas pediátricas contra Covid-19 chegou neste domingo (16) ao aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Desta vez, foram recebidas 1,2 milhão de doses da Pfizer, a única autorizada até agora pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aplicação em crianças entre 5 e 11 anos.

De acordo com o secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, a remessa mais recente estava prevista para chegar ao país apenas em 20 de janeiro, mas foi antecipada. No próximo dia 27, está prevista a chegada de mais 1,8 milhão de doses.

A primeira remessa de doses da vacina foi descarregada na madrugada da última quinta-feira (13), também em Viracopos. No dia seguinte, o estado de São Paulo aplicou a primeira vacina pediátrica contra Covid-19 da Pfizer em uma criança.

“Para a imunização desse público [entre 5 e 11 anos] será necessária a autorização dos pais. No caso da presença dos responsáveis no ato da vacinação, haverá dispensa do termo por escrito. A orientação da pasta é que os pais ou responsáveis procurem a recomendação prévia de um médico antes da imunização”, disse o Ministério da Saúde.

A primeira remessa de doses da vacina foi descarregada na madrugada da última quinta-feira (13), também em Viracopos. No dia seguinte, o estado de São Paulo aplicou a primeira vacina pediátrica contra Covid-19 da Pfizer em uma criança. 

“Para a imunização desse público [entre 5 e 11 anos] será necessária a autorização dos pais. No caso da presença dos responsáveis no ato da vacinação, haverá dispensa do termo por escrito. A orientação da pasta é que os pais ou responsáveis procurem a recomendação prévia de um médico antes da imunização”, disse o Ministério da Saúde.

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/


sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Primeiras doses de vacina infantil contra Covid-19 chegarão a Pernambuco nesta sexta-feira

                       As primeiras doses da vacina pediátrica contra a Covid-19 chegarão a Pernambuco nesta sexta-feira (14). A previsão foi confirmada na tarde desta quinta-feira (13), pela Secretaria Estadual de Saúde. Crianças de 5 a 11 anos com doença neurológica crônica e distúrbios do desenvolvimento neurológico (priorizando síndrome de Down e autismo) e indígenas deverão ter seus esquemas vacinais iniciados já neste sábado (15), nos municípios.

Às 4h45 desta quinta-feira, as primeiras vacinas destinadas a crianças foram desembarcadas em solo nacional. A remessa com 1,2 milhão de doses do imunizante da Pfizer foi descarregada no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (São Paulo). A previsão é que o Brasil receba em janeiro um total de 4,3 milhões de doses da vacina. A remessa é a primeira de três que serão enviadas ao país.

Segundo a SES-PE, a definição de grupos prioritários se deu devido aos fatores que influenciam no contágio e evolução para forma grave da doença. A comprovação se dará aos moldes da vacinação dos adultos, ou seja, com apresentação de laudo médico contendo o CID indicativo da doença.

De acordo com os dados do Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe), na análise de março de 2020 a novembro de 2021, 17,3% das crianças de 5 a 11 que morreram pela Covid-19 eram portadoras da síndrome neurológica crônica (demência vascular, acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico, ataque isquêmico transitório), sendo a comorbidade mais presente entre os óbitos confirmados pela doença nesta faixa etária.

A SES-PE informou que, por meio do Programa Estadual de Imunização, já tem organizado o processo de logística para distribuir, rapidamente, o imunizante aos municípios, que ficarão responsáveis pela aplicação no público infantil.

Pernambuco já aplicou 15.105.207 doses de vacinas contra a Covid-19 na sua população, desde o início da campanha de imunização no estado (no dia 18 de janeiro de 2021). Com relação às primeiras doses, foram 7.309.757 aplicações (cobertura de 95,03%). Do total, 6.362.578 pernambucanos (82,71%) já completaram seus esquemas vacinais, sendo 6.189.477 pessoas que foram vacinadas com imunizantes aplicados em duas doses e outros 173.101 pernambucanos que foram contemplados com vacina aplicada em dose única.

Outras 53.062 doses adicionais foram aplicadas em pessoas com imunossupressão. Em relação às doses de reforços (terceira dose), já foram aplicadas 1.379.810 (cobertura de 20,89%).

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

quarta-feira, 29 de dezembro de 2021

Total de mortes por influenza A H3N2 sobe para seis no Recife; casos passam de 1,2 mil

                       O total de mortes em decorrência da influenza A H3N2 subiu para seis no Recife. As infecções somam 1.247 registros. Os dados são de boletim da Secretaria de Saúde da capital pernambucana (Sesau) divulgado na noite desta quarta-feira (29).

Até então, segundo os últimos dados informados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), na segunda-feira (27), a capital pernambucana notificava três óbitos - o número, portanto, dobrou . 

Os dados de casos e mortes por H3N2 no Estado serão atualizados nesta quinta-feira (30), de acordo com a SES-PE.

A Sesau indica ainda que todas as mortes no Recife foram confirmadas por critério laboratorial.

"Os pacientes que foram a óbito tinham idades entre 46 e 69 anos", acrescenta a secretaria.

O último balanço da SES-PE, na segunda, indicava um total de 819 casos no Recife - sendo ao todo 1.592 no Estado.

Os primeiros casos da nova cepa da influenza foram confirmados em Pernambuco em 18 de dezembro. A primeira morte, de um homem de 46 anos residente no Recife, paciente renal crônico, ocorreu no dia 19 e foi confirmada no dia 20.

As outras mortes por H3N2 divulgadas pela SES-PE ocorreram nas cidades de Olinda (1) e Ipojuca (1) - ambas na Região Metropolitana do Recife (RMR). O panorama deverá ser atualizado na quinta-feira.

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

sábado, 18 de dezembro de 2021

STF dá 48h para governo se manifestar sobre vacinação para crianças

                     O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu 48 horas para o governo federal se manifestar sobre a inclusão de crianças de cinco a 11 anos no Programa Nacional de Imunização (PNI) contra Covid-19 antes do início do período escolar em 2022.

Na última quinta-feira (15), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concluiu a avaliação técnica sobre o pedido de autorização para aplicação da vacina contra a Covid-19 da Pfizer, a Comirnaty, para crianças de 5 a 11. Contudo, ainda não existe uma data prevista para o início da imunização.

A decisão de Lewandowski é uma resposta a ação movida por partidos de oposição em outubro do ano passado, que cobrava medidas efetivas para a imunização da população. O PT solicitou ao STF que fosse estabelecido um cronograma para distribuição dos imunizantes para crianças na faixa de 5 a 11 anos.

'Que o governo federal apresente, em 48 horas, a complementação do Plano Nacional de Vacinação, para incluir as etapas a serem cumpridas para iniciar e concluir a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos contra a Covid-19, incluindo-se um cronograma que viabilize a cobertura vacinal adequada de toda a população infantil antes da retomada das aulas, bem como a previsão de um dia nacional (Dia D) para vacinação, ou mesmo a designação de possíveis datas para a realização de grandes mutirões de incentivo e vacinação', diz Lewandowski na ação.

Apesar de ter o mesmo princípio ativo do fármaco já comprado pelo Brasil e aplicado em pessoas com mais de 12 anos, a formulação da vacina aprovada para a população pediátrica é diferente — o que levará à aquisição de novos lotes pelo Ministério da Saúde. As doses devem ser administradas com intervalo de 21 dias, e cada uma com dose de 10 microgramas.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse, nesta quinta-feira (16), que pediu, extra-oficialmente, 'o nome das pessoas que aprovaram a vacina para crianças a partir de cinco anos'. 'Queremos divulgar o nome dessas pessoas para que todo mundo tome conhecimento de quem são essas pessoas e, obviamente, forme o seu juízo', afirmou o presidente durante a live semanal pelas redes sociais.

Bolsonaro destacou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que aprovou o uso da vacina da Pfizer contra a Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos, não está subordinada ao governo dele, e que ele não interfere na agência. 'Tenho uma filha de 11 anos e vou estudar com a minha esposa qual decisão que vamos tomar', disse. 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

A partir desta segunda-feira (6), vacina é exigida em órgãos administrados pelo Estado de Pernambuco

                       A partir de hoje, a entrada e a permanência em órgãos estaduais só será permitida com a comprovação do esquema vacinal contra a Covid-19 completo. O decreto com todas as regras para cumprimento da norma foi publicado no último dia primeiro, no Diário Oficial do Estado.

A apresentação obrigatória do comprovante de vacinação para entrada em estabelecimentos públicos vinculados à administração estadual foi anunciada durante coletiva de imprensa, no final de novembro. A medida reforça o incentivo à vacinação de todos os pernambucanos contra a doença, com o objetivo de proteger a população.

Segundo o secretário estadual de Saúde, André Longo, a imunização é necessária para evitar novas ondas da doença. “Dados divulgados pelo Centro Europeu de Controle de Doenças apontam que os locais com maiores índices de vacinados estão registrando menos mortes, comprovando que as vacinas, além de seguras, salvam vidas. O cenário que temos hoje é de uma pandemia em pessoas não totalmente vacinadas”, pontuou Longo, ao anunciar a medida.

De acordo com o decreto estadual, a comprovação de vacinação poderá ocorrer por meio do Comprovante de Vacinação Oficial, expedido pela plataforma do Sistema Único de Saúde (SUS), ou por outro meio comprobatório, como caderneta ou cartão de vacinação emitido pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), pelas secretarias municipais de saúde ou por outro órgão governamental, nacional ou estrangeiro, com registro de aplicação de vacinas.

Os órgãos e entidades de administração direta ou indireta do Estado, como secretarias e espaços associados aos órgãos, incluindo os que ficam dentro de shoppings ou outros estabelecimentos, deverão controlar a entrada de cada pessoa nas dependências, exigindo, além do comprovante de esquema vacinal, a apresentação de um documento oficial com foto.

As pessoas que não completaram o ciclo vacinal, incluindo aquelas que ainda aguardam o intervalo entre as doses, ficarão impedidas de frequentar os órgãos e entidades.

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM 

https://www.instagram.com/afolhadascidades/ 

https://www.facebook.com/afolhadascidades/


sexta-feira, 19 de novembro de 2021

Campanha de Mega Vacinação contra Covid-19 começa neste sábado

                         Começa neste sábado (20), a campanha nacional de Mega Vacinação contra a Covid-19. Para dar visibilidade à ação, o Ministério da Saúde vai promover eventos simultâneos nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Manaus, Curitiba, Salvador e Brasília. O ministro Marcelo Queiroga participará da iniciativa no Rio, que ocorrerá na Cidade das Artes.

A intenção é incentivar a população a voltar aos postos de vacinação para tomar a segunda dose ou a dose de reforço. A campanha tem como slogan "Proteção pela medade não é proteção" e vai até 26 de novembro. Neste período, os postos de vacinação em todo país estarão preparados para intensificar a imunização da população.

A ação pretende incentivar que os 21 milhões de brasileiros que não tomaram a segunda dose da vacina procurem os postos e completem o ciclo vacinal. A iniciativa também pretende atingir as pessoas que estão aptas a tomar a dose de reforço. Cerca de 9,3 milhões de pessoas podem reforçar a imunidade contra a doença com uma terceira dose.

“Nós queremos convidar a todos os brasileiros que não foram tomar a segunda dose, assim como a dose de reforço, a procurar as Unidades Básicas de Saúde, salas de vacinação e as estratégias usadas em cada município. Essas doses estão disponíveis para a população, que ficará mais protegida e ajudará o Brasil a superar a crise sanitária e dar exemplo com uma das campanhas de vacinação mais bem-sucedidas do mundo, promovida integralmente pelo Sistema Único de Saúde”, disse o ministro da Saúde. 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades/

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

sexta-feira, 5 de novembro de 2021

Covid-19: mais de 14 milhões estão com segunda dose da vacina atrasada

                     Um estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que mais de 14 milhões de brasileiros estão com a segunda dose da vacina contra Covid-19 em atraso de mais de 15 dias. A informação foi divulgada hoje (4) no segundo Boletim VigVac, produzido pela Fiocruz Bahia, com base em dados até 25 de outubro.

Os pesquisadores ressaltam que o número de pessoas com a dose em atraso de mais de 15 dias duplicou, entre 25 de setembro e 25 de outubro, saltando de cerca de 7 milhões para 14.097.777. Cerca de metade dos atrasados já deveria ter tomado a segunda dose há mais de 30 dias e 14% deles já perderam o prazo há mais de 90 dias.

A análise levou em conta apenas atrasos de mais de 15 dias por considerar o tempo de entrada das informações na Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) e por entender que um tempo curto de atraso pode ocorrer por motivos de dificuldade de agendamento e indisponibilidade das pessoas para se vacinarem. Além disso, os pesquisadores ponderam que o risco individual não é elevado em um intervalo relativamente curto de demora na conclusão do esquema vacinal.  

Entre as vacinas utilizadas no Brasil, AstraZeneca, Coronavac e Pfizer requerem a aplicação da segunda dose para que a imunização seja considerada completa. O número de atrasos para a AstraZeneca é de 6.739.561; Coronavac, 4.800.920; e Pfizer, 2.557.296. Os dados do atraso na segunda dose podem ser consultados em um painel mantido pela Fiocruz Bahia.

Os pesquisadores alertam que o atraso diagnosticado no sistema de informações do Ministério da Saúde pode ser justificado por diferentes razões, como a própria demora em buscar a segunda dose, a lentidão para registro na base de dados, o esgotamento e a sobrecarga das equipes de gestão, vigilância e atenção à saúde, a disseminação de notícias falsas sobre a imunização, a falta de estoque de reserva de imunizantes e mortalidade, dentre outros.  

Apesar dessa variedade de possibilidades, a pesquisa ressalta que os gestores de saúde devem fazer uma análise cuidadosa para identificar as causas mais prováveis do atraso em cada localidade. 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades/

https://www.facebook.com/afolhadascidades/ 

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Pfizer entrega mais 1,3 milhão de doses de vacina ao Brasil

                        Um avião com mais de 1,33 milhão de doses de vacina contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech desembarcou neste domingo (17) pela manhã no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo.

Esse foi o sexto lote entregue somente nesta semana, totalizando 10 milhões de doses. Essas doses são referentes ao segundo contrato estabelecido entre o governo brasileiro e a farmacêutica. Até o fim do ano, a estimativa é de entrega de 100 milhões de doses da vacina. No primeiro contrato estabelecido com o Brasil, a Pfizer já havia entregue outras 100 milhões de doses.

Antes de as vacinas serem distribuídas para a população, elas passarão por um controle de qualidade. De acordo com o Ministério da Saúde, das mais de 310,4 milhões de doses de vacina distribuídas no Brasil, 94,2 milhões são do imunizante da Pfizer/BioNTech.

Até este momento, mais de 260,1 milhões de doses de vacinas contra covid-19 foram aplicadas no Brasil, sendo 151,3 milhões delas de primeira dose. Segundo o Ministério da Saúde, mais de 108,7 milhões de brasileiros já completaram o esquema vacinal. 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades/

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Pernambuco recebe nova remessa de vacinas contra a Covid-19 da AstraZeneca

                    Pernambuco recebeu, nesta quarta-feira (13), um novo lote com 4,5 mil doses da vacina da AstraZeneca. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), a remessa será encaminhada ao estoque estratégico do Estado, para auxiliar municípios que relatem eventualidades que impossibilitem o avanço de suas respectivas campanhas de imunização.

O lote foi descarregado no Aeroporto Internacional do Recife, na Zona Sul da capital pernambucana, de onde foi encaminhado à sede do Programa Estadual de Imunizações (PNI-PE).

Desde o início da campanha de vacinação contra a Covid-19, em janeiro deste ano, Pernambuco recebeu 13.627.350 doses de vacinas contra a Covid-19.

Desse total, foram 4.707.170 da Astrazeneca/Oxford/Fiocruz, 4.481.720 da Coronavac/Butantan, 4.264.650 da Pfizer/BioNTech e 173.810 da Janssen. 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades/

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

segunda-feira, 11 de outubro de 2021

Brasil supera hoje a marca de 100 milhões com imunização completa

                              O Brasil se aproxima de romper a barreira de 100 milhões de pessoas com o esquema completo de vacinação contra a Covid-19. Ontem, o país chegou a 99.315.948 vacinados com as duas doses, ou a única, no caso da Janssen. Neste fim de semana, foram aplicadas mais de 1 milhão de doses ao dia, segundo dados do Localiza SUS, divulgados ontem. Mesmo que quase a metade da população brasileira esteja com o esquema de vacinação completo, ainda não é o momento de relaxar com as medidas de proteção. Afinal, a pandemia matou mais de 601 mil pessoas.

Cerca de 149,5 milhões de pessoas estão parcialmente imunizadas, ou seja, receberam pelo menos uma dose. Em relação ao total da população, este número equivale a 70,07%. Mesmo que os números sejam otimistas, ainda falta para atingir a chamada imunidade de rebanho. De acordo com o médico intensivista do Hospital Brasília Rodrigo Biondi, muitas pessoas já estão com a imunidade contra a doença enfraquecida devido ao tempo da última vacina. 

“A maioria dos totalmente vacinados é de idosos, que já se imunizaram há algum tempo, e é como se eles não fizessem parte destes 100 milhões. Então, para considerar a imunidade de rebanho, deve ser quando há vacinação em massa de 70% a 80% da população com o esquema vacinal completo. Mesmo que esteja um pouco longe, existem alguns outros problemas relacionados (à imunidade de rebanho), como as variantes e, por mais que as vacinas disponíveis mostrem efetividade contra elas, nenhum imunizante é completamente eficaz”. “Outro fator que a gente precisa levar em consideração são os hospedeiros e a maioria é assintomáticos. São as crianças e os adolescentes que ainda têm esquema de vacinação tardio. Mesmo com estudos avançados para vacinar esta população, ainda há resistência”, disse. 

O médico explica que, quando puder vacinar esta faixa etária, valerá a pena por dois motivos: existir mortalidade, mesmo que baixa, e porque eles são geralmente hospedeiros assintomáticos. “Crianças pequenas têm muito contato com as outras. É difícil ter distanciamento social e elas têm muito mais interação social do que os adultos. Então, quando elas estão em ambientes com maior proporção de contágio, elas podem pegar e contaminar um adulto”, explicou. 

Recentemente, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga repudiou leis que obrigam o uso de máscaras. “Sou absolutamente contrário. O governo federal defende primeiro a dignidade da pessoa humana, a vida, a liberdade. Eu acho que uma lei para obrigar qualquer coisa é um absurdo, porque não funciona. Temos que fazer as pessoas aderirem às recomendações sanitárias”, disse.

A infectologista Ana Helena Germoglio, do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), aponta o contrário e, apesar da queda de casos, não é o momento de relaxar nas medidas de proteção. “No último ano, a gente já aprendeu a relaxar em muitas medidas que não são tão eficazes contra a pandemia, como por exemplo, lavar as compras e tomar banho toda hora que chegasse em casa. Então, já há um certo relaxamento. Mas, as outras medidas são simples, principalmente o uso de máscara.” 

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades/

https://www.facebook.com/afolhadascidades/

Paulo Câmara sanciona lei que torna vacinação de servidores obrigatória em Pernambuco

                         O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, sancionou a lei que torna obrigatória a vacinação contra a Covid-19 de servidores, empregados públicos, militares de estado, contratados temporários e prestadores de serviço contratados pelos órgãos e poderes do Estado. 

Após ser apresentado, tramitado em regime de urgência na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) e aprovado pelos deputados por 34 votos a favor e seis contrários em segunda discussão no plenário, na última quinta-feira (7), o projeto tornou-se lei com a publicação no Diário Oficial do Estado de sábado (9) e já está em vigor.

Segundo o texto da lei complementar nº 458, será permitido o exercício funcional regular para aqueles que tomaram a primeira dose até o curso da imunização completa com a aplicação da segunda dose da vacina, respeitados os prazos definidos no calendário de vacinação municipal, desde que devidamente comprovado.

"Aqueles que não comprovarem a realização da primeira dose ou dose única da vacinação contra a Covid-19 ou não apresentarem justa causa para não o ter feito serão impedidos de permanecer nos seus locais de trabalho, sendo atribuída falta ao serviço até a efetiva regularização", diz o texto da lei.

Para a comprovação da vacinação, os servidores deverão apresentar o certificado nacional de vacinação, em versão impressa, disponível para emissão no aplicativo ou site Conecte SUS Cidadão.

Apenas quem comprovar justa causa por natureza de saúde estará isento da vacinação e das sanções previstas na lei. Essa certificação deve ser feita mediante apresentação de declaração médica que contraindique a imunização.

CURTA NOSSA FANPAGE E PERFIL NO INSTAGRAM

https://www.instagram.com/afolhadascidades/

https://www.facebook.com/afolhadascidades/