quinta-feira, 9 de maio de 2019

Arcoverde: Vereadora Zirleide denuncia ‘agressões’ de parlamentar do governo


           A última sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Arcoverde foi marcada por cenas e discursos duros oriundos do representante do governo Madalena, o vereador Weverton Siqueira (PSB), contra a vereadora e representante da oposição, Zirleide Monteiro (PTB). Tudo porque a vereadora denunciou um esquema irregular de concessão de bolsas de estudo na AESA para pessoas ligadas ao governo ou contratados.  O parlamentar confessou que tem uma prima que é contratada da AESA, a pedido dele, e tinha uma bolsa para estudar na autarquia contrariando a lei que dá direito apenas aos filhos dos servidores da ativa da autarquia.

Ontem, em sua rede social, a vereadora Zirleide Monteiro (PTB) lançou uma nota de desagravo devido às “ofensas e agressões verbais” que sofrera durante a sessão por parte do vereador governista. Em contra-partida, durante a sessão, a parlamentar trouxe à tona todo o esquema de como ocorreram os desvios na Câmara de Vereadores durante o mandato do pai do vereador governista.

“Infelizmente o governo da prefeita Madalena decidiu partir para o baixo nível, as agressões e as ofensas para com a oposição, simplesmente porque não consegue dar as respostas satisfatórias sobre as denúncias que fazemos, seja da falta de remédios, dos gastos excessivos com propaganda, dos superfaturamentos na educação constatadas pela CGU, das maracutaias que ocorrem na Secretaria de Assistência Social, das irregularidades na AESA, e tantas outras que se formos citar daria para encher um livro”, disse a vereadora já no primeiro parágrafo do que intitulou de Nota de Desagravo.

Na nota ela relata que foi ofendida e agredida verbalmente por um vereador (Weverton Siqueira – PSB), que a agressão não era apenas a pessoa dela, mas a mulher e a sua família; e que medidas judiciais deverão ser tomadas pelas atitudes do parlamentar de ‘perseguir e invadir a privacidade’ de uma de suas irmãs de forma a constrangê-la.

“Na última sessão, colocaram um vereador, pequeno nos atos e nas atitudes, para agredir, ofender, tentar denegrir a imagem não da vereadora, mas da mulher, mãe, da minha família porque não conseguem dar respostas as irregularidades denunciadas por nós. Um governo que põe um capacho para perseguir familiares meus, constranger; atos que não ficarão sem as respostas da justiça. Se pensam que mandam em Arcoverde, estão enganados. Aqui quem manda é o povo e a lei, inclusive para os que se acham acima dela”, afirmou.

Zirleide lamentou em sua nota que a população de Arcoverde tenha sido obrigada a assistir a “esse espetáculo deprimente, desesperado, agressivo, desqualificado, dos que deveriam representar a população e não ser apenas subservientes a um governo que capenga e coleciona irregularidades”, referindo-se ao governo da socialista Madalena Britto, a quem credita os ataques proferidos pelo vereador da bancada que estava sendo orientado por um assessor direto da prefeita.

Ela finaliza a nota de desagravo afirmando “Não vamos nos abater, não vão nos calar!” e afirma que em todo o seu mandato nunca agrediu ou ofendeu pessoalmente qualquer pessoa do governo, mas que não deixará de apontar as falhas, erros e irregularidades dos que fazem a prefeitura.

“Deus saberá nos guiar e dar o discernimento para levarmos à frente essa luta por uma Arcoverde melhor, mais justa; uma política com P maiúsculo, aonde pessoas inexpressivas treinadas para ofender a mulher, mãe, vereadora, as pessoas do povo, sejam coisas do passado. Peço desculpas pelo desabafo, mas nós como mulher, mulher que diariamente vive sendo agredida Brasil à fora, não poderíamos silenciar. Que Deus nos ilumine e ilumine o povo de Arcoverde”, conclui a vereadora Zirleide Monteiro.

Veja a nota na íntegra no link abaixo:

NOTA DE DESAGRAVO VEREADORA ZIRLEIDE MONTEIRO

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search