terça-feira, 2 de abril de 2019

Mourão discorda de Bolsonaro e diz que “de esquerda é o comunismo”


             No dia em que visitaram em Israel o Museu do Holocausto, o presidente Jair Bolsonaro e seu chanceler, Ernesto Araújo, insistiram em declarar em entrevistas nesta terça-feira que o nazismo foi um movimento de esquerda.

A tese é contestada pela grande maioria dos historiadores, incluindo os especialistas do memorial que documenta o extermínio de 6 milhões de judeus pelos nazistas — que também, ainda antes da Segunda Guerra Mundial, prenderam milhares de comunistas, social-democratas, ciganos, homossexuais e outros indivíduos considerados indesejáveis.

Bolsonaro disse que "não há dúvida" de que o nazismo foi de esquerda. Para embasar seu argumento, o presidente procurou lembrar o nome oficial do Partido Nazista.

Já o presidente em exercício Hamilton Mourão evitou comentar diretamente a declaração do presidente Jair Bolsonaro que disse em Israel, nesta terça-feira, que o nazismo foi um movimento de esquerda. Entretanto, questionado pela imprensa, Mourão afirmou que nazismo e comunismo são faces opostas do totalitarismo.

“De esquerda é o comunismo. Não resta a menor dúvida”, disse Mourão.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search