segunda-feira, 11 de março de 2019

Arcoverde: Prefeita dá de ombro à vereadores e mexe com R$ 13 milhões de reais sem autorização

Invertendo o slogan de Juscelino dos “50 anos em 5” em favor do desenvolvimento, a prefeita de Arcoverde, Madalena Britto (PSB), instituiu o slogan “50 anos em 3”, ao ser a primeira prefeita/prefeito a promover créditos adicionais suplementares sem autorização dos vereadores no valor de R$ 13.258.115,14, contrariando o disposto no artigo 42 da Lei nº 4.320/64. Um verdadeiro escândalo, como diria o Borys. Foi um dos motivos que levou o TCE a rejeitar as prestações de contas de 2015 da prefeita, além, pior também, o fato de ter descontado dos salários dos servidores em mais de R$ 183 mil, afora outros R$ 442 mil da parte patronal (Prefeitura), e não recolher ao fundo de previdência como disse o TCE. 
Pelo jeito, a prefeita resolveu andar em dissintonia
 com a sociedade brasileira que tanto condenou as pedaladas fiscais de uma presidente, que foi cassada por isso, que tanto combateu a corrupção, os maus feitos de governos outros, hoje se vê diante de um velho filme. Não foram apenas os vereadores que a prefeita desprezou, ou simplesmente deu ‘beijinho de ombro pro recalque passar longe’, como diria a Popozuda, ela teria desrespeitado a lei, o Poder Legislativo, que junto ao Poder Executivo e Poder Judiciário, formam os pilares da democracia. Mas democracia em alguns lugares só cabe dentro de uma família, como diria o filósofo Zoroastro. E Zoró se pergunta: Será que teremos algum vereador governista a defender tal prática? Será que algum vereador vai assinar embaixo esse abuso da lei? Será que teremos algum vereador que vai dar à sociedade o atestado de inútil, já que a prefeitura mostrou que não precisa deles para mexer com o dinheiro do povo ao bel prazer?
Pra onde foram esses R$ 13 milhões? 
Viraram obras, viraram fardas para os alunos das escolas do município? Viraram remédios que faltam todos os dias nos postos de saúde? Zoró não encontrou nada disso, mas, o pior mesmo, é que esses R$ 13 milhões não poderiam ter ido para lugar nenhum sem autorização dos vereadores, do Poder Legislativo. Pode-se não se gostar dos vereadores, alguns que hoje estão fora podem achar que são desnecessários, mas não são e existem para exatamente controlar e fiscalizar o Poder Executivo goste-se deles ou não, para que governos não usem o dinheiro do povo ao bel prazer. O problema é que muitas vezes só sabem disso depois da bagaceira feita.
Como diz o Chico, hoje é segunda-feira, fé e coragem; 
acorda arcoverdense, o povo não pode ficar só ouvindo a voz mansa e assistir aos encantos dos cargos dos afilhados que se acotovelam nos corredores da prefeitura, enquanto uma prefeita traz de volta prática rejeitada no passado e achar isso normal. A última vez que os arcoverdenses tiveram notícias de prestações de contas rejeitadas de prefeito ou prefeitas, datam dos anos 90. Parece até que o atual governo se inspirou na novela das 19h da Globo e trouxe de volta a velha prática que tanto mal e marcas negativas deixaram ao povo de Arcoverde. Só falta a música Protesto do Olodum: ”Iôiôiôiôiô, Lálálálálá, Iôiôiôiôiô, E lá vou eu...”            


Cadê a luz?

Apesar de já ter recebido neste ano R$ 335.814,81 de taxa de iluminação pública que a população paga todo mês, a prefeitura de Arcoverde não consegue mais fazer o mínimo da obrigação. Na noite deste domingo (10), um popular postou em redes sociais um pequeno vídeo percorrendo o longo trecho de apenas 200 metros da Rua José Magalhães de França, entre a Itapuama FM e a antiga Casa de Saúde São Lucas. Existiam 05 postes com luminárias apagadas. O dinheiro da população entra, mas a iluminação sai e fica a escuridão. Veja o vídeo:



O rei do Cecora
Pré-candidato a vaga de pré-candidato a prefeito da chapa a ser comandada pela prefeita Madalena Britto (PSB), que conquistou semana passada sua primeira conta rejeitada pelo TCE, o vice-prefeito Wellington Araújo (PSB) já aposta numa alternativa, caso perca vaga para alguém que saia do bolso da Casa Branca, que é o mais provável. Há mais de mês que o homem não sai de dentro do CECORA e, caso não seja candidato a prefeito, já arruma o passo para, quem sabe, disputar o reinado do centro comercial. Tai aí uma grande ideia! Se cuida Paulo!

Mais feira no passo
De feira em feira os pré-candidatos ou próximos de pré-candidatos não perdem a oportunidade na busca dos tão sonhados votos. Se o vice dá o passo no Cecora, o médico e marido da vereadora Cybele Roa (PR), o Dr. Rodrigo Roa, também foi a feira. Ontem, domingo, esteve no pátio da feira livre do São Cristóvão, não para comprar verdura ou legumes, mas para falar com o povo. Abraços, ouvido abertos, apertos de mão, palavras e fotografias, muitas, tudo de direito para quem tá de olho para as urnas de 2020. É ele ou ela? Aqui é ele, mas dizem que é ela. Ou será ele?

E se fosse hoje?
Com nove vereadores na bancada, a prefeita de Arcoverde lá atrás, ainda em 2015, quando o vereador Siqueira era presidente da Casa James Pacheco, já demonstrou que vereador só serve mesmo na eleição e que o Poder Legislativo é puro apêndice do Poder Executivo, o que não é verdade segundo a lei. Somente isso para explicar legislar por conta própria o uso de mais de R$ 13 milhões do orçamento municipal sem autorização dos vereadores como manda a lei. Será que a atual presidente, aliada da prefeita e que por muitas vezes toma o lugar do líder para defendê-la, aceitaria tal atitude durante seu mandato? Vem mais contas por aí!

Procura-se!
Alô! Alô! Vozes do além prometem uma CPI para investigar quantos coveiros são necessários para sepultar alguém numa cidade de 70 mil habitantes. Correm nos corredores do outro mundo que tem coveiros demais para poucos defuntos. Aleluia! Na falta de presuntos, como se fala no jargão policial, a tropa da pá e colher pode até aproveitar a folga para andar de cavalinho. Segundo as vozes do além, os nomes do escrete já estão escalados e relacionados a espera da chamada. Falta só o apito do juiz, que já tá de olho na tabela.

Pauta de sobra, tempo de menos
Com 15 minutos no chamado ‘grande expediente’, a vereadora Zirleide Monteiro (PTB) vai ter muito assunto para falar em tão pouco tempo. Se for por pauta ofertada pela própria prefeita não falta: vai desde as contas rejeitadas a falta de transparência no portal do Fundo de Assistência Social, passando pelo sumiço do dinheiro dos servidores descontados de seus salários em 2015, a irregularidades das contas de gestão de 2013. Será que alguém vai ceder tempo?


Terra arada
De olho nas chuvas, a prefeita Regina Cunha (PTB) está com os tratores doados pelo ex-deputado Zeca Cavalcanti a todo vapor nos sítios de Itaíba. Nos últimos dias os tratores araram terras nas comunidades do assentamento Cachoeira Grande, Macambira e Riacho Seco. Em 2018 mais de 200 propriedades rurais foram aradas e a expectativa da Secretaria de Desenvolvimento é preparar o máximo de terras para a chegada das chuvas no Agreste.

Olha a conta!
A internação do presidente Jair Bolsonaro no hospital Albert Einstein em janeiro e fevereiro deste ano custará cerca de R$ 400 mil aos cofres públicos e será paga com recursos da Presidência da República. A verba sairá dos recursos reservados para a Presidência em 2019, de acordo com matéria da @folhadespaulo.


Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search