quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Ministério Público ajuíza ação contra futuro Ministro do Meio Ambiente por abuso de poder econômico


          Na tarde da terça-feira (11), o Ministério Público Eleitoral em São Paulo ajuizou ação no Tribunal Regional Eleitoral contra Ricardo de Aquino Salles, escolhido pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para ser o futuro Ministro do Meio Ambiente, por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social nas eleições de 2018.

Na ação de investigação judicial, o MP Eleitoral pede a cassação do registro ou diploma de Salles, que foi candidato a deputado federal pelo Partido Novo (Novo) e alcançou a primeira suplência para o cargo. Pede ainda que seja decretada sua inelegibilidade pelo período de oito anos.

Recentemente anunciado para assumir o Ministério do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sob a presidência do “Movimento Endireita Brasil”, contratou anúncios publicitários no jornal Estado de S. Paulo às vésperas do período eleitoral. O Ministério Público aponta que o objetivo das propagandas foi promover ilegalmente a sua candidatura.

Nos anúncios são exibidas fotografias com destaque para a figura de Ricardo Salles, acompanhadas da identificação ou assinatura “Ricardo Salles – Presidente do Movimento Endireita Brasil”. O valor desembolsado para a veiculação do material impresso foi de R$ 260 mil. O procedimento preparatório eleitoral foi instaurado no MP Eleitoral em 26 de junho de 2018. 

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search