quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Ministério Público ajuíza ação contra futuro Ministro do Meio Ambiente por abuso de poder econômico


          Na tarde da terça-feira (11), o Ministério Público Eleitoral em São Paulo ajuizou ação no Tribunal Regional Eleitoral contra Ricardo de Aquino Salles, escolhido pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para ser o futuro Ministro do Meio Ambiente, por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social nas eleições de 2018.

Na ação de investigação judicial, o MP Eleitoral pede a cassação do registro ou diploma de Salles, que foi candidato a deputado federal pelo Partido Novo (Novo) e alcançou a primeira suplência para o cargo. Pede ainda que seja decretada sua inelegibilidade pelo período de oito anos.

Recentemente anunciado para assumir o Ministério do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sob a presidência do “Movimento Endireita Brasil”, contratou anúncios publicitários no jornal Estado de S. Paulo às vésperas do período eleitoral. O Ministério Público aponta que o objetivo das propagandas foi promover ilegalmente a sua candidatura.

Nos anúncios são exibidas fotografias com destaque para a figura de Ricardo Salles, acompanhadas da identificação ou assinatura “Ricardo Salles – Presidente do Movimento Endireita Brasil”. O valor desembolsado para a veiculação do material impresso foi de R$ 260 mil. O procedimento preparatório eleitoral foi instaurado no MP Eleitoral em 26 de junho de 2018. 

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search