quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Arcoverde: Conselho de Assistência fará vistoria no residencial Maria de Fátima

            Uma das pautas da reunião inédita, pela primeira vez verdadeiramente aberta ao público e transmitida ao vivo, do Conselho Municipal de Assistência Social foi ofício enviado pela Associação Comunitária dos Moradores do Residencial Maria de Fátima apontando uma série de problemas e cobrando soluções dos poderes públicos municipais e estaduais, entre eles o CMAS. No documento, a associação cobra uma posição do Ministério Público e do Conselho de Assistência Social.

No documento, assinado pelo presidente da entidade, Geovane Mendes, ele relata que o Residencial Maria de Fátima "tornou-se nos últimos meses em um verdadeiro caos, retrato do abandono por parte do Poder Público que adota ações paliativas, e da construtora responsável pela obra que simplesmente cruzou os braços diante os problemas". 

O ofício denuncia fatos como "problemas estruturais nas casas, vigilância clandestina que cobra dos moradores um valor mensal de R$ 15,00 aliando a isso a descontos na compra de botijões de gás para beneficiar grupos políticos; ruas totalmente esburacadas, casas rachadas e com esgotos retornando, falta de escola, creche, posto de saúde, segurança pública e transporte". A Secretária de Assistência Social, Zulmira Lima, disse que só responderia aos questionamentos por meio de ofício e não durante a reunião do Conselho.

Diante da falta de respostas diante de tantos questionamentos, foi proposta e criada uma comissão do Conselho de Assistência Social para, in loco, verificar os problemas e denúncias relatadas. Ficou definido que a visita acontecerá no dia 11 de dezembro com a presença dos conselheiros, representantes da prefeitura e da polícia militar. Na próxima quinta-feira (6), a Secretaria de Assistência Social disse que daria uma resposta escrita sobre as questões citadas no ofício. Sobre as invasões de casas, a secretária de Assistência Social informou que já mandou desocupar as casas, mas não sabia informar quantas teriam realmente sido invadidas e desocupadas. 

Uma moradora e conselheira, disse que problemas ainda persistem no Residencial Maria de Fátima, a exemplo dos ônibus que pegam as crianças para as escolas, hoje obrigadas a ficarem sob sol e chuva. Coincidentemente, nesta quinta-feira (29), um dia após a reunião do Conselho de Assistência Social, quando os problemas foram apresentados, a prefeitura de Arcoverde mobilizou diversos setores com ações no Residencial Maria de Fátima, inclusive com a presença da prefeita do município. 

No ofício encaminhado ao Conselho Municipal de Assistência Social e ao Ministério Público de Pernambuco, ainda em junho deste ano, mas só deliberado agora, a Associação dos Moradores elencou uma série de problemas e cobrou soluções de diversos órgãos, como: prefeitura, governo do Estado e construtora. Confira os pontos citados no ofício da Associação Comunitária dos Moradores do Residencial Maria de Fátima:

Prefeitura:
* Entrega dos contratos dos beneficiários que ainda não receberam suas casas;
* Desocupação das casas invadidas e entrega aos proprietários de direito; 
* Requalificação e regularização de toda a rede de iluminação pública que vem deixando diversas ruas às escuras;
* Conclusão do Projeto do Residencial com a construção/instalação de uma (01) escola pública, uma (01) creche e uma (01) Unidade Básica de Saúde, bem como uma (01) área de lazer (praça), como previsto no projeto do empreendimento;
* Implantação de Programas Sociais permanentes para atender as crianças e adolescentes em situação de risco social;

Construtora:
* Reforma das casas que estão com a estrutura de alvenaria comprometida devido a má qualidade da obra;
* Reforma e recuperação das casas arrombadas, invadidas e depredadas;
* Reforma dos acessos e ruas do Residencial que estão totalmente intransitáveis;

Governo do Estado:
* Implantação de uma unidade de segurança pública com policiamento permanente a fim de combater o tráfico de drogas, assaltos e roubos constantes no Residencial, garantindo assim a segurança de todos;
* Construção de um acesso viário entre o Residencial e a cidade, via PE 270, bem como projeto de iluminação pública ao longo do trajeto, hoje totalmente às escuras;

Celpe:
* Regularização das contas de energia elétrica para a tarifa social;

Passados seis meses da entrega do ofício ao Conselho Municipal de Assistência Social, a Secretária Zulmira Lima disse que não tinha conhecimento do referido documento, demonstrando uma total falta de sintonia entre a administração do CMAS e a Prefeitura, através da Secretaria de Assistência Social. 

PUBLICIDADE

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search