sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Prefeita Madalena divide governo com filho no apoio a candidatos à deputado


           O investimento do candidato a deputado estadual dado pelo governo Paulo Câmara para ser votado pelo grupo familiar da prefeita de Arcoverde, Madalena Britto (PSB), pode ir por água a baixo e tornar-se uma verdadeira decepção eleitoral. É que preocupado em tirar votos do deputado estadual Eduino Brito (PP) e da vereadora e candidata a deputada estadual Cybele Roa (PR), o governo se dividiu.

Enquanto a prefeita busca levar os vereadores a apoiar o candidato do palácio do Campo da Princesas, o deputado estadual Waldemar Borges (PSB), o filho e secretário de Governo e Articulação, Carlos Fernando Britto, trabalha para a candidatura do ex-vereador Luciano Pacheco (Pros), lhe garantindo lideranças que vivem à sobra do poder público municipal e pedindo votos. O objetivo de tal divisão de poderes e votos seria enfraquecer a votação da vereadora do PR e do deputado do PP. Quem sai lucrando é o ex-vereador. 

Apesar de estar sendo combatida internamente e até mesmo declaradamente pelo governo, tendo o filho da prefeita como peça chave, a vereadora ainda perde tempo dizendo que faz parte da base do governo. Com a divisão dos votos, o governo pretende deixar seus aliados e ex-aliados com uma votação minguante que não permita maiores voos em 2020.

Quanto aos vereadores, ficam como peças de xadrez sendo mexidas ao sabor do momento. A informação é que vários não estariam tão contentes, pois as bençãos do palácio ainda não teriam chegado.

No meio do jogo, outro que pode estar pagando caro e pode levar gato por lebre é o candidato a federal oficial, o deputado João Fernando Coutinho (Pros). A prefeita também dividiu o governo com uma parcela, tendo à frente o vice-prefeito Wellington Araújo, trabalhando para o vice-governador e candidato a deputado federal Raul Henry. As atitudes em Arcoverde comprovam que a candidatura de Rands (PROS) seria apenas um apêndice da campanha de Paulo Câmara (PSB).

As eleições estão chegando ao final com a prefeita confirmando o atestado político forjado ainda em 2014, quando cruzou os braços e investiu no candidato Eduíno Brito para tirar votos do deputado estadual Júlio Cavalcanti, bem como do então ex-prefeito e candidato a deputado federal Zeca Cavalcanti. Teve que aguentar a eleição dos dois. Nas eleições deste ano, é Eduíno, e agora Cybele, que estão sentindo o sabor da infidelidade do governo Madalena.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search