quinta-feira, 5 de julho de 2018

Lula apoia candidatura de Marília Arraes em Pernambuco e desafia PSB


          Em meio às negociações do PT com o PSB em troca de um apoio dos socialistas à tentativa de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência, o petista enviou, da carceragem da Superintendência da Polícia Federal, um recado que deve desagradar os possíveis aliados. Lula afirmou ao líder do Movimento dos Sem Terra, João Pedro Stédile, e ao ex-presidente do PT, Rui Falcão, que, se fosse militante do PT de Pernambuco, já estaria em campanha pela pré-candidata do partido, Marília Arraes, rival do PSB no estado.

A retirada da candidatura de Marília Arraes é vista como essencial para que um acordo entre os dois partidos saia do papel: o PSB tem o governador do estado, Paulo Câmara, que irá disputar a reeleição. A vereadora Marília Arraes, do PT e neta do ex-governador Miguel Arraes, é vista como sua principal adversária, sobretudo se tiver o apoio do ex-presidente Lula, principal cabo eleitoral dentro do estado.

O posicionamento de Lula vai de encontro com uma nota oficial divulgada pelo PSB de Pernambuco no último dia 29, defendendo que o partido feche aliança com o petista para a disputa pelo Palácio do Planalto.

A posição pró-Lula do diretório pernambucano é vista como o principal entrave para um acordo entre o PSB e Ciro Gomes, do PDT. Outras resistências, como a de Márcio França, em São Paulo, que preferia Alckmin, devem ser superadas.

Nesta quinta-feira, após uma visita ao petista, João Pedro Stédile e Rui Falcão transmitiram o sinal de Lula para que o PT inicie a campanha por Marília Arraes.

— Se eu estivesse em Pernambuco como militante, minha candidata já estaria em campanha, que é a Marília Arraes — disse Lula aos dois, afirmou Stédile.

Segundo o líder dos sem-terra, a frase não foi dita no sentido de iniciar uma luta interna para fazer valer a candidatura do partido ao invés de um acordo com o PSB, mas "no sentido de que o PT tem que criar vergonha e disputar com as suas ideias", disse.

O ex-presidente Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal desde o dia 6 de abril, cumprindo sua pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro referentes ao processo que atribuiu a propriedade de um tríplex no Guarujá a ele.

Além do apoio à candidatura de Marília Arraes, o ex-presidente afirmou a Stédile e Falcão que levará sua candidatura até as últimas consequências. Com a condenação, no entanto, o ex-presidente é considerado um ficha-suja pela Justiça e precisará que a Justiça aprove sua candidatura.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search