sexta-feira, 25 de maio de 2018

Paulo Câmara não mexe uma palha para amenizar crise de caminhoneiros em Pernambuco


           O Governo Paulo Câmara (PSB) não pretende mexer uma palha para por fim ao movimento dos caminhoneiros em Pernambuco. Por meio de nota da Secretaria da Fazenda, o governo informa que não vai reduzir a alíquota do ICMS sobre o óleo diesel que abastece os caminhões e hoje está em 18%.

Enquanto isso, cresceu o número de interdições em rodovias pelo movimento de paralisação dos caminhoneiros no dia seguinte ao acordo comemorado pelo governo. Balanço da associação da categoria revela que há 521 pontos interditados durante toda a manhã desta sexta-feira (25) em 25 unidades da federação.

Em Pernambuco, o Movimento dos Caminhoneiros Autônomos de Carga, que representa mais de 80% dos que aderiram à paralisação no Estado, não vão suspender a greve que se encaminha para o quinto dia, segundo o advogado da entidade. De acordo com ele, os caminhoneiros pernambucanos não concordaram com o acordo fechado “a portas fechadas” com o Governo Federal.

Ainda de acordo com o advogado, a categoria só aceitará negociar diretamente com o presidente Michel Temer (MDB) para fechar um acordo e com a presença da imprensa. Segundo ele, a negociação fechada nesta quinta-feira (24) não foi feita “com quem tem representação e representatividade”. Segundo a categoria, 70% dos benefícios dados pelo governo só beneficia os empresários de combustíveis e de transportadoras e não os caminhoneiros.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search